Domingos Paulino

Publicado 10/08/2016 por lcs2308

Domenico (Domingos) Eugênio Paulino, nasceu em 29 de julho de 1884, sendo registrado no dia 31 de julho do mesmo ano, em Diamante, província de Cosenza, na Itália. Filho de Pasquale Paolino e Philomena Romito Venturi, casada em segundas núpcias com Luigi Venturi.

13872828_1677349212589293_5780573955422232005_n.jpg

Veio para Campinas em companhia de seus pais, em 1889. Começou a trabalhar como oficial de alfaiate e posteriormente, como representante comercial da Singer, Martinelli e Cia. de Navegação.

13925277_1631059390517943_6515813743489783500_n

Atti di nascita

Iniciou em 1908, sua carreira como jornalista profissional. Trabalhando no jornal “Comércio de Campinas”, ao lado de Henrique Telles de Barcellos, Álvaro Ribeiro, Antônio (Cardosinho) Franco Cardoso, e tantos outros. Revelando-se, desde cedo, o mais solerte repórter da cidade. Foi mais tarde promovido, nesse mesmo jornal, a chefe de redação, tendo, acumulado esse cargo ao de diretor-gerente da conceituada folha.

'8.07.1911

Nota de 17 de julho de 1911.

Jornalista dos mais ativo de nossa cidade, prestou relevantes serviços à Campinas, em diversos setores. Dedicando-se inteiramente e incansavelmente ao jornalismo, Domingos Paulino, fundou diversos semanários, entre os quais “A Bomba”, “A Bala”, órgãos patrióticos de defesa dos países aliados na grande guerra; fundou “O Campineiro” e todos anos fazia circular, uma bem feita edição do “XX de Novembro”, anuário ilustrado comemorativo da marcha sobre Roma, em idioma italiano. Foi ainda diretor e correspondente de vários jornais, sobressaindo o ” Il Fanfulla”.

17.03.1917

16 de março de 1917

Participou de vários movimentos filantrópicos e progressistas, tendo sido um dos fundadores da Associação Comercial e do Circolo Italiani Uniti (Casa de Saúde de Campinas). Integrou a comissão pró-estádio do Guarani e a presidência do Auto F.C., presidente da Banda Musical Ítalo-Brasileira, no período áureo da comemoração da Independência, tendo legado, a está, em sua profícua administração, o prédio de sua sede social, na Avenida Benjamin Constant. Elemento valioso na realização de muitos cometimentos da colônia italiana, visando o progresso local e o bem estar de seus compatriotas. Foi ainda sub-delegado por muitos anos.

19.10.1910

19 de setembro de 1910

12027699_813795488719812_1140410701508068260_n.jpg

A sede na Avenida Benjamin Constant.

“Era de vê-lo aí, pelo Centro da Cidade, sempre apressado, agitando na mão nervosa um jornal ou algumas tiras de papel… Corria às vezes… às vezes parava, batia um papinho com algum conhecido, seguindo depois, apressadamente. Andava, olhando dos lados , cumprimentando uns e outros , sorrindo, pilheriando…. Conhecia todo mundo… toda gente o conhecia e o estimava.”

Casou-se com a Sra. Ursulina Pinheiro Paulino, nascida em 18 de setembro de 1880 e falecida em 18 de agosto de 1943, filha de Vicente Garcia Pinheiro e Francisca de Paula Ferreira Pires.

Deste matrimônio nasceu: * Ernani Paulino, nascido em 05 de novembro de 1909 e falecido em 10 de setembro de 1977, casado com Nelly Cavallari Paulino, nascida em 22 de maio de 1915 e falecida em 04 de setembro de 1996.

Ernani, colaborador da imprensa campineira, integrava a Ordem dos Velhos Jornalistas, e proprietário da tradicional Papelaria Paulino.

13934954_1677285402595674_3354690318710062828_n

Ernani

* Carmen, casada com Manoel Cabral;

* Profa. Mercedes Paulino Barthelson, casada com Alfredo Barthelson (14.11.1901-22.09.1933);

946459_1686423348239067_4023942388791489527_n

Profa. Mercedes Paulino Barthelson. Acervo “Família Paulino”.

 

* Profa. Yolanda Paulino de Miranda, casada com Mário de Rosa Miranda;

* Geraldo Paulino, falecido em 1955, casado com Romilda Scatolini;

* Heitor Paulino, casado com Maria de Lourdes Ladeira (08.12.1910-28.03.1986), filha de Leonor de Castro Roso e Antônio Maurício Ladeira;

* Wanda Paulino, nascida em 06 de setembro de 1922 e falecida em 06 de março de 1945.
“Wanda, a sua alma, pura como lírio, florescerá eternamente junto ao Senhor”.

Netos: Marília, Norma, Nelly, Gilberto, Everaldo, Maria Cecília, Amaury, Ivan, Renato, Jael, Nilza, Domingos, Ernani, Maria Aparecida, Maria Regina, Lúcia Helena…

Após longos padecimentos, faleceu no dia 26 de setembro de 1926, aos 43 anos, cercado de grande estima, sua morte ocasionou as maiores mostra de consternação, saindo o féretro da Rua Ferreira Penteado, 125.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: